Dia de combate à exploração sexual contra crianças e adolescentes é lembrado nesta segunda

Dia de combate à exploração sexual contra crianças e adolescentes é lembrado nesta segunda

A escolha da data é uma lembrança a toda a sociedade brasileira sobre a menina sequestrada em 18 de maio de 1973, Araceli Cabrera Sanches, então com oito anos, quando foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. Muita gente acompanhou o desenrolar do caso, poucos, entretanto, foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio de muitos acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.

De autoria da então deputada Rita Camata (PMDB/ES) - presidente da Frente Parlamentar pela Criança e Adolescente do Congresso Nacional - o projeto foi sancionado em maio de 2000 como Lei 9.970: “Institui o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”.

Desde então, a sociedade civil em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes promovem atividades em todo o país para conscientizar a sociedade e as autoridades sobre a gravidade da violência sexual.

Então, fique alerta!  Não espere sinais óbvios de que a criança está sofrendo abuso sexual. Meninos e meninas dão muitos sinais, mas você tem que saber identificá-los. Observe alguns sinais de seus filhos:

  • Mudanças súbitas e inexplicáveis no comportamento;
  • Muito medo de escuro e lugares fechados;
  • Manifestações de comportamentos muito infantis;
  • Abatimento profundo;
  • Comportamento autodestrutivo ou suicida;
  • Mudança de hábito alimentar.
  • Aparência descuidada e suja pela relutância em trocar de roupa;
  • Fugas frequentes de casa;
  • Resistência em voltar para casa após a aula;
  • Dificuldade de concentração e aprendizagem;
  • Relacionamentos e conversas cheias de segredos;
  • Interesse ou conhecimento súbito sobre sexo.

Explique às crianças que um adulto não deve mexer com ela de maneira sexual. Indique a elas as partes de seu corpo que não devem ser tocadas. E lembrem a criança que o abusador pode ser alguém próximo.

Preste atenção: se a criança demonstrar medo repentino de alguém ou parecer desconfortável ou resistente em estar com algum adulto em particular, pergunte o porquê.

SEDS Cartaz 3

SEDS Cartaz 2

SEDS Cartaz 1